Crônicas do Mundo Emerso Vol. 2 – A Missão de Senar

Título: Crônicas do Mundo Emerso Vol. 1: A Missão de Senar
Título original: Cronache Del Mondo Emerso – La Missione di Senar
Autor: Licia Troisi
Ano de publicação: 2004
País de origem: Itália
Tradução: Mario Fondelli
Editora: Rocco – 332 páginas

A Missão de Senar é a continuação de A Garota da Terra do Vento, segundo volume da série Crônicas do Mundo Emerso. Mais sobre o primeiro volume, clique aqui. O livro segue bem o ritmo do primeiro volume: a narrativa é rápida e tem o grande foco no desenvolvimento dos personagens principais Nihal e Senar, dessa vez em missões completamente separadas. Esse fato gera uma diferença importante entre o primeiro livro e o segundo. Agora a história dos dois corre paralela, ou seja, você lê alguns capítulos sobre Nihal e depois mais outros sobre Senar.

Na minha opinião o grande ganho desse livro foi o fato de apresentar Senar mais de perto e criar a possibilidade de entendermos seu estilo de vida e seus pensamentos. Porque apesar de já termos tido contato com ele no primeiro volume, esse encontro era sempre mediado pelos olhos de Nihal. Na perigosa missão de encontrar o Mundo Submerso, começamos a entender melhor a lógica do personagem e contrapô-lo com Nihal. Passamos a ter então dois personagens principais e não só mais um. Mais

Anúncios

A Torre Negra Vol.1 – O Pistoleiro

Título: A Torre Negra Vol. 1- O Pistoleiro
Título original: The Dark Tower – The Gunslinger
Autor: Stephen King
Ano de publicação: 2004 (primeira publicação em 1982)
País de origem: Estados Unidos
Tradução: Mário Molina
Editora: Objetiva – 224 páginas

Desde que li Os Olhos do Dragão virei fã de Stephen King. Procurei ler outros livros dele, desde os clássicos Carrie, O Iluminado, A Coisa até o inesperado À Espera de um Milagre. Meu pai é um grande fã do King, então eu sempre tive os livros ao meu alcance para ler. No entanto, nenhuma série chegou a me tirar o fôlego tanto quanto A Torre Negra.

Eu sempre digo que Harry Potter é minha série favorita, mas que A Torre Negra é a melhor série de fantasia que já li. Sem sombra de dúvidas. E começar a escrever um post sobre esse assunto é uma tarefa no mínimo difícil. Primeiro porque essa série é fruto de um trabalho de décadas de seu autor e apresenta inúmeras iconsistências. Muita gente reclama de A Torre Negra dizendo que é um monte de bla bla bla que poderia ser resumido em um número de páginas infinitamente menor e eu concordo, no entanto, isso tiraria o grande brilho da série que é justamente começar sem saber exatamente o que se está fazendo e terminar em uma grande revelação. A escrita de A Torre Negra acompanha seu desenvolvimento como enredo: uma coisa é o espelho da outra. Mais