Os Contos de Beedle, o Bardo [The Tales of Beedle the Bard]

Título em português: Os Contos de Beedle, o Bardo
Título Original: The Tales of Beedle the Bard
Autor: J.K.Rowling
Ano de publicação: 2008
País de Origem: Reino Unido
Tradução: Lia Wyler
Editora: Bloomsbury / Rocco (Brasil)
Número de páginas: 109 (edição britânica)

The Tales of Beedle the Bard foi escrito por J.K.Rowling no final de 2007, depois do lançamento bombástico de Harry Potter and the Deathly Hallows [Harry Potter e as Relíquias da Morte]. Rowling fez a mão (sim, ela desenhou e escreveu tudo!) sete cópias do livro de contos, entregando seis a amigos e familiares queridos e deixando uma para  leilão. A gigante Amazon arrematou o exemplar por alguns milhões de dólares e um ano depois publicou uma versão para o grande público.

O livro é composto de cinco contos:

The Wizard and the Hopping Pot, The Fountain of Fair Fortune, The Warlock´s Hairy Heart, Babbity Rabitty and Her Cackling Stump e The Tale of the Three Brothers. [Referências em inglês porque não li o livro na versão traduzida. Se alguém souber como foi feita a tradução, não deixe de comentar!] O último, obviamente, é o conto-chave presente em Harry Potter e as Relíquias da Morte, O Conto dos Três Irmãos. Algumas dessas histórias foram mencionadas por Ron no livro.

A idéia é construir o folclore bruxo. Ou seja, os contos de The Tales of Beedle the Bard são como as histórias dos irmãos Grimm, contos de fada para crianças. Por conta disso, a meu ver pelo menos, o livro é muito mais válido para quem já conhece o universo Harry Potter do que para quem nunca leu nada ou só viu os filmes. As referências e as notas de rodapé feitas por Rowling têm aquele toque de humor ácido muitas vezes encontrado no site oficial da autora e várias referências só fazem rir quem já conhece a trama. Sem contar que é bacana pensar que o exemplar foi traduzido das runas por Hermione Granger ou que Dumbledore foi quem fez os comentários ao final de cada conto. Fora que a introdução escrita por Rowling faz qualquer um chorar. Sério, eu choro com as coisas que a Rowling escreve.

  • The Wizard and the Hopping Pot conta a história de um rapaz egoísta que recebe do pai um caldeirão e um chinelo velho como herança. O pai costumava ajudar os trouxas da vizinhança, curando doenças e/ou aliviando o trabalho pesado. O rapaz nega ajudar os trouxas, se julgando superior apenas porque é um bruxo, mas começa a ser perseguido pelo tal caldeirão saltitante. No final, ele aprende a lição. O comentário de Dumbledore é sobre as diversas versões para a história, pois alguns bruxos sangue puro não foram lá com essa idéia de sair por aí fazendo caridade a trouxas. (E não parece com alguns probleminhas fundamentalistas do nosso mundo?)
    Esse é um dos meus temas favoritos no universo Harry Potter, essa coisa de preconceito e de diferença. É um dos grandes temas da série, principalmente nos livros 2, 6 e 7.
  • The Fountain of Fair Fortune é uma fonte que traz boa sorte, curando doenças/realizando sonhos. Três mulheres bruxas e um cavaleiro trouxa resolvem buscar a fonte juntos e aprendem o verdadeiro valor da amizade e do sacrifício. Sem sombra de dúvida é um dos grandes temas da série também, expressado de forma mais forte no trio Harry, Ron e Hermione.
    E mais uma vez uma história sobre interação entre bruxos e trouxas e de acordo com Dumbledore, ela também foi modificada por bruxos que não iam muito com essa idéia de fazer amizade (e muito menos se casar) com trouxas.
  • The Warlock´s Hairy Heart é uma história sombria sobre um bruxo que, para nunca se apaixonar e se tornar um tolo, tranca o próprio coração dentro de uma caixa. Achei arrepiante e talvez seja a minha segunda favorita do livro. É o único conto que trata de magia das trevas e depois de ler, é impossível não pensar em Voldemort e em toda magia super negra da série.
  • Babbity Rabitty andHer Cackling Stump. Ron é quem faz a primeira referência a essa história no sétimo volume da série e a própria J.K.Rowling confessou que não fazia idéia de como criar uma história em cima do que inicialmente era apenas um título engraçado.
    Babbity Rabbity é uma criada bruxa da corte que, convencida por um mestre da magia fajuto, realiza magias para que o rei pense que ele tem poder mágico. Achei que Rowling encontrou uma saída boa para o título maluco e a história aborda um tema interessante que está também presente em toda série Harry Potter: não existe magia que possa trazer de volta os mortos.
  • The Tale of the Three Brothers [O conto dos três irmãos] é a única história não-inédita do livro pois na verdade se trata de um capítulo inteiro do livro Harry Potter e as Relíquias da Morte e foi maravilhosamente transposta para o cinema no filme de mesmo nome. Para assistir à versão cinematográfica, clique aqui. Ah, nem precisa dizer que é a minha favorita. Cliché, mas é verdade.

Como fã quase fanática da série, recomendo muito a leitura do livro uma vez que nos deparamos com temas e referências à série original. Além disso, é mais uma prova de que a série de Rowling possui um background perfeito, com sua mitologia, seu imaginário e suas raízes. Sem sombra de dúvida, nota 5!

Anúncios

15 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Camila
    fev 11, 2011 @ 02:24:31

    Oi Mel,
    Engraçado que eu li a série inteira de Harry Potter e não sei porque não cheguei a ler esse livro!! E olha que minha irmã até tem essa edição… Na verdade eu nem sabia do que se tratava!! hahaha
    Vou ver se acho ele aqui na estante!!!
    Beijos
    Camila – Leitora Compulsiva

    Responder

  2. Lucy
    fev 12, 2011 @ 15:24:15

    Eu gostei do livro, achei bem “contos de fadas” para crianças bruxas hahaha.

    Li em inglês. Como se trata de contos, não é um bicho de sete cabeças. Acho que fora o conto dos três irmãos, meu favorito é Babbity Rabitty and Her Cackling Stump. rsrs

    Mel, indiquei um meme pra vc lá na chocolateria. ^^
    bjos!

    Responder

    • Melissa
      fev 12, 2011 @ 19:10:27

      Quando li o livro, fiquei me imaginando lendo essas histórias pra os meus alunos do kindergarten…

      Mais meme!!!!!!!!!!!! Brigadona, Lucy.

      Responder

  3. Vania
    fev 14, 2011 @ 02:59:54

    Eu AMEI Beedle the Bard! Ganhei de aniversário de uma amiga minha e fiquei com ele aberto na estante por meses, sem coragem de ler. De certa forma era como dizer adeus… Depois de muito tempo, resolvi ler um conto por dia, e precisei de todo meu auto-controle, mas consegui… até chegar no último. Apesar de já conhecer a história dos três irmãos, foi só depois de mais alguns meses que consegui pegar o livro novamente e realmente terminar. É uma carga emocional muito grande pra nós, que somos extremamente apaixonadas pela série, não? Sorry, queria dividir haha porque acho que nunca contei isso pra ninguém porque bem, quase ninguém entenderia né…

    “Sério, eu choro com as coisas que a Rowling escreve.” – Eu também Mel… eu também! E também adoro a maneira com que ela lida com preconceito e diferenças como você disse. No decorrer dos livros a gente vê a falta de tolerância e a ignorância dos sangue-puros com relação aos trouxas e aos “mudbloods” mas logo no início vemos também o contrário acontecer com o Harry, que é maltratado pelos Dursleys pelo simples fato de ser um bruxo, e isso tem um efeito permanente nele. Ah Rowling… nossa heroína!

    Responder

    • Melissa
      fev 14, 2011 @ 12:52:13

      Sim, adoro o tema preconceito na série. É muito bacana como os personagens vão mudando suas opiniões sobre o assunto… E é engraçado o fato de os Weasley terem um certo pé atrás com sangue puros, né?

      Achei um livro mágico e realmente, dá dó de terminar. A carga emocional é gigantesca! E Ily, fico tão feliz que você entende os dramas HP comigo. Porque mexe DEMAAAAAAAAAAAAAAIS comigo quando leio os livros. Nossa, é muito forte.

      Responder

  4. Allan
    fev 14, 2011 @ 12:41:09

    Adorei!Nossa, quero muito ler!*-*

    Responder

  5. Allan
    fev 14, 2011 @ 12:57:10

    Aproveitando a sua bondade, eh que tambem sou um amante dos livros de fantasia e epicos, gostaria de saber se voce nao me indicaria algum bom livro ,tipo bernard cornwell, sobre as cruzadas.

    Responder

  6. Allan
    fev 14, 2011 @ 14:48:38

    AH!*-* Muitiiiiiiissimo obrigado!!!!

    Responder

  7. Trackback: J.K.Rowling « Livros de Fantasia
  8. Trackback: Lista de Livros Lidos em 2011 « Mundo de Coisas Minhas
  9. Krys
    abr 03, 2012 @ 19:21:07

    Eu adoro esse livro!

    Meu conto favorito é “A fonte da sorte”

    Adoro a Asha, Altheda e a Amata (rsrsrsrs)

    Mas Melissa, são cinco contos e não sete (ou eu to doida achando que são cinco?)

    Responder

    • Melissa
      abr 03, 2012 @ 23:37:36

      Krys, obrigada pela correção! Que loucura isso! Anuncio sete contos e depois falo cinco… Que deslize feio. Obrigada mais uma vez por apontar, e saiba que já foi corrigido.

      Esses contos são incríveis! Tem hora que é difícil escolhar um só…

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: