As Crônicas de Gelo e Fogo Vol.3 – A Tormenta de Espadas

Título: As Crônicas de Gelo e Fogo Vol. 3 – A Tormenta de Espadas
Título original: A Song of Ice and Fire: A Storm of Swords
Autor: George R.R. Martin
Ano de publicação: 2011 (primeira publicação em 2000)
País de origem: Estados Unidos
Tradução: Jorge Candeias
Editora: Leya – 880 páginas

A Tormenta de Espadas vem trazer o caos após a guerra que ficou conhecida como a A Guerra dos Cinco Reis (é tanto rei, que tem hora que me perco). Os últimos arremates em direção à estabilidade de Westeros estão sendo feitos. Arremates esses que vêm na forma de acordos, nomeações, tratados e casamentos. Mas não pense que esse é um livro tranquilo por conta disso. Ao contrário, Tormenta vem nos apresentar Martin em seu ápice no que ele faz de melhor: surpreender o leitor.

O que chamou atenção logo de cara nesse volume de As Crônicas de Gelo e Fogo foi dois novos mapas apresentados. Além dos já clássicos mapas entitulados O NORTE e O SUL da edição brasileira (clique aqui para vê-los), temos pela primeira vez os mapas PARA LÁ DA MURALHA e AS TERRAS DO MAR DE VERÃO (clique nelas para ampliar)

Mapa das Terras Para Lá da Muralha e do Mar de Verão

Isso, claro, é prenúncio de que esses lugares serão importantes nesse novo volume e digo que as passagens nessas áreas foram incríveis. Principalmente porque envolvem meus personagens favoritos: o irmão juramentado da Patrulha da Noite Jon Snow e a rainha Daenerys Targaryen.

As reviravoltas desse livro foram mais impactantes (e muito mais cruéis) do que as ocorreram em A Fúria dos Reis, que é meu “menos favorito” da série até agora. Nesse novo volume gigante, difícil de segurar, o número de páginas destinadas ao que eu costumo chamar de embromação (ou seja, a nobre arte de enrolar o seu leitor) foram bem inferiores ao livro anterior e senti que A Tormenta de Espadas conseguiu me rancar do chão do mesmo modo que A Guerra dos Tronos, o primeiro volume, conseguiu.

Ao todo são 82 capítulos, divididos entre 10 pontos de vista, além de um prólogo e um epílogo. Além das narrações já apresentadas no volume anterior (e vocês podem conferir a lista das narrações de cada personagem e suas características específicas aqui e aqui), temos dois novos pontos de vista inéditos que expandem ainda mais nossa visão da história. São eles:

  • Jaime Lannister: mais conhecido como Regicida (por ter matado o último rei da dinastia Targaryen décadas antes), Jaime já aparece nos livros anteriores e é caracterizado como um homem cruel e de moral extremamente duvidosa. Mas Martin nos surpreende mostrando um Jaime mergulhado em sentimentos conflitantes e pior ainda: um Jaime com sentimentos. E acredite, alguns deles são bons.
  • Samwell Tarly: amigo de Jon Snow, Sam é sempre caracterizado como um covarde. E ele próprio acredita piamente nisso. É filho de um lorde poderoso, mas o pai o obrigou a vestir o negro por conta de sua falta de habilidade com uma espada. Seu ponto de vista mostra o que aconteceu com a Patrulha da Noite depois dos eventos do livro anterior.

Em matéria de desenvolvimento de personagem, Martin beira a exaustão, como sempre. Seus livros são muito realistas e detalham cada cenário, cada roupa de cada cavaleiro. Pessoalmente, acho que às vezes ele exagera com o lance material, mas o lado psicológico nunca fica a desejar. Os personagens que mais me chamaram a atenção em matéria de desenvolvimento foram Sansa Stark (eu realmente ansiava pelas partes dela) e Tyrion Lannister. Gostei muito também da parte em que Jaime Lannister tinha seu ponto de vista mostrado (e eu adoro Brienne de Tarth, então era minha chance de vê-la).

Jon Snow e Daenerys Targaryen voltaram a ter destaque na trama e tomaram ações muito interessantes. Catelyn Stark melhorou um pouquinho em relação ao livro anterior e achei que ela se mostrou bem mais nesse volume. Arya Stark, por outro lado, me cansou um pouquinho. Não sei. Mas as partes dela nunca me empolgavam, assim como as de Davos.

Tormenta é menos violento que Fúria, mas ainda assim passa longe da fantasia infanto-juvenil. Como seu sempre digo, é um livro para adultos que foge de todos os finais felizes. Na verdade, há partes tão infelizes nessa história que eu fico me perguntando porque ainda estou lendo. Aí lembro que é por conta dos personagens incríveis e volto a ler. rs

A Tormenta de Espadas é um terceiro volume muito digno que se iguala ao volume de estréia da série. O final deixa aquela ansiedade desesperada pelo próximo livro. O melhor da fantasia adulto, um must read do gênero, com certeza.

A série As Crônicas de Gelo e Fogo continua com O Festim dos Corvos (A Feast for Crows) [previsão de lançamento no Brasil em fevereiro deste ano], A Dança dos Dragões (A Dance With Dragons) [no Brasil em julho], The Winds of Winter (que Martin está escrevendo nesse exato momento) e A Dream of Spring (que é o último livro e até agora só um plano do autor).

Curiosidade: Martin só escreveu as cenas do “Casamento Vermelho” depois de ter terminado todos os outros capítulos. Ele disse que escrever esse episódio foi extremamente doloroso.

Pessoal, peço desculpas pela falta de atualização semana passada. Mas é que tive um problema sério com meu computador e só agora estou normalizando a situação. Mas a parte boa é que nessa semana vai ter resenha extra! rs

Anúncios

6 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Lucy
    jan 17, 2012 @ 22:41:01

    De quem foi o casamento vermelho? o.o

    Eu tenho que ler esses livros, fala sério. >.< rsrs
    Adorei sua resenha, Mel! Apesar de não ter spoilers! hahaha
    Bjos!

    Responder

    • Melissa
      jan 17, 2012 @ 22:48:31

      Lucy, eu me recuso a fazer spoiler dessa série nas resenhas. Porque a graça dela pra mim é justamente ser surpreendente. Eu acho que é um livro longo demais pra gente ler sabendo o final… hahahahaha

      Mas já que você é a Spoiler Queen, eu conto que o Casamento Vermelho foi entre um Tully e um Frey. E que foi um arraso. Literalmente.

      Responder

  2. Liége
    jan 17, 2012 @ 22:46:19

    Eu acabei sem querer descobrindo o que é esse “casamento vermelho”… nossa, que sangue frio o Martin deve ter para conseguir escrever uma cena dessas!!
    Gostei da resenha, Melissa, muito boa. Meus personagens favoritos da série de TV também foram a Daenerys (ah, e o Drogo) e o Jon. Bom saber que os dois ainda vivem nesse livro (se não empacotaram no final e eu não sei, hehehe)…

    Responder

    • Melissa
      jan 17, 2012 @ 22:52:15

      Ai, eu também acho, viu, Liège. Inclusive eu acho que o Martin tem sangue frio demais pra escrever essa história. Tem partes horríveis. E só daquele cavaleiro Gregor Clegane (a Montanha que Cavalga) existir, já é horrível demais!

      Eu gosto da Daenarys e do Jon porque eles têm um bom coração. Eles fazem coisas ruins também, mas têm uma pureza interior, sabe. Pelo menos até agora. Porque com o Martin, nunca se sabe.

      Eu fico sempre tão feliz de te ver por aqui!!!! 🙂

      Responder

  3. Trackback: As Crônicas de Gelo e Fogo Vol.4 – O Festim dos Corvos « Livros de Fantasia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: