As Crônicas de Gelo e Fogo Vol.4 – O Festim dos Corvos

O Festim dos Corvos, de G.R.R. Martin

Título: O Festim dos Corvos
Título original: A Song of Ice and Fire: A Feast for Crows
Autor: George R.R. Martin
Ano de publicação: 2012 (primeira publicação em 2005)
País de origem: Estados Unidos
Tradução: Jorge Candeias
Editora: Leya – 644 páginas

Nesse quarto volume da série Crônicas de Gelo e Fogo, as consequências da Guerra dos Cinco Reis são mostradas. Desolação e morte estão presentes em toda Westeros. Grandes caveleiros estão mortos ou presos, o povo passa fome e os foras-da-lei se aproveitam da situação para enriquecer. Mas nem assim as figuras por trás do poder descansam: mesmo com muitos de seus principais jogadores agora oficialmente fora do tabuleiro, os poderosos que ficaram tentam fazer de tudo para manter sua posição de prestígio e aumentar seu poder. Afinal, o jogo dos tronos não termina depois da primeira rodada.

A primeira coisa a dizer é que esse livro simplesmente me pegou de surpresa. Digo isso porque assim que soube que O Festim dos Corvos só trazia metade dos personagens da série (a metade que vive no sul), torci o nariz. Como assim não veremos Jon Snow na Muralha? Ou Daenerys conquistando o leste? Ou mesmo Stannis tramando com Melisandre? Não vamos saber pra onde o Bran foi? A grande maioria dos meus personagens favoritos vive no norte. Ler um livro todo só no sul… foi incrível! A narrativa me pegou mesmo de jeito em suas intrigas e se tornou um volume favorito na série (empatando, talvez, com A Guerra dos Tronos).

Sei que tem muita gente que não gostou do livro, dizendo que é uma história parada, que não tem cenas de guerra. Bem, eu acho que esse foi justamente um dos motivos de eu ter gostado tanto desse volume. Cenas de ação em excesso me entediam. Descrições intermináveis de guerra não fazem a minha cabeça. O que eu mais gosto nessa série é justamente a intriga, o interesse pessoal e como tudo isso se junta, e foi isso que ficou claro em O Festim dos Corvos. O que acontece com uma terra depois da guerra? Quais são os movimentos daqueles que ganharam? Dos que perderam? E dos que fugiram?

Outro fator interessante (e que pode ter contribuído para que muitos odiassem o livro) é que o livro se faz praticamente em cima das personagens femininas. A questão de gênero se torna muito importante nesse volume: mulheres deveriam governar? Se sim, por que? E se não, por que? Se uma mulher governa, quais são as dificuldades? E as facilidades? Quais são os interesses que atravessam as escolhas de uma governante mulher? São essas escolhas tão diferentes das escolhas de um governante homem?

Achei fantástico acompanhar a trama em Dorne (um lugar que até então não tínhamos visto em primeira-mão na série) onde Arianne Martell luta pelo direito feminino de governar; ou mesmo em Porto Real, com Cersei e sua loucura por combater uma possível rival, Margaery; e até Asha Greyjoy, nas Ilhas de Ferro, que não tem medo de se impor e exigir sua voz. Temas muito interessantes atravessados por pesonagens muito bem desenvolvidas (seja para o bem ou para o mal).

Como eu disse, a história aborda personagens do sul nos seguintes lugares: Porto Real, as Terras Fluviais, Ninho da Águia, Ilhas de Ferro, Dorne, Vilavelha e Bravos. São ao todo 46 capítulos cada um segundo o ponto de vista de 12 diferentes pontos de vista. Além daqueles que temos nos volumes anteriores, temos de novo:

  • Cersei Lannister: a narrativa de Cersei é marcada pelo desejo (e pela paranoia) de se manter no poder. Nos livros anteriores, poderíamos ter alguma simpatia por Cersei pois simplesmente não sabíamos seus motivos. Mas Martin pegou pesado no psicológico da persongem e nos mostrou bem de perto como a linha entre proteger os seus e agir sem escrúpulos é bastante tênue.
  • O Profeta, O Afogado (Aemon ” Cabelo Molhado” Greyjoy): outra narrativa da loucura, dessa vez por um motivo religioso. Completamente fanático e potecialmente perigoso, o irmão mais novo do Balon Greyjoy busca seu deus afogado para guiá-lo na escolha do melhor rei para as Ilhas de Ferro.
  • A Filha da Lula Gigante (Asha Greyjoy): Asha quebrou todas as barrerias se tornando uma mulher guerreira nas Ilhas de Ferro. Respeitada pelos homens por sua conquista militar, Asha vê que, mesmo mostrando seu valor, alguns preconceitos ainda estão presentes pelo fato de ela ser mulher. É frustrante acompanhar suas ideias racionais e válidas serem jogadas no vento por um bando de homens preconceituosos
  • O Capitão de Ferro (Victarion Greyjoy): uma narrativa que coloca em conflito aquele velho caso: família? honra? religião? Qual deles devo seguir?Victarion não é nem de longe um personagem simpático, mas seu ponto de vista nos mostra bastante sobre a situação política das Ilhas de Ferro.
  • O Capitão da Guarda (Aero Hotah): um veslumbre do príncipe de Dorne, Doran Martell, através dos olhos de seu subordinado mais próximo.
  • O Cavaleiro Maculado (Arys Oakheart): um guarda real da corte de Cersei em Dorne. Um ponto de vista interessante para o choque cultural (Dorne é bem diferente do resto de Westeros) e para mostrar como funciona a guarda real.
  • A Fazedora de Rainhas, A Princesa na Torre (Arianne Martell): uma narrativa que mostra os costumes de Dorne. É também um bom insight nas questões de gênero do livro. Arianne é a personagem que mais conscientemente reflete sobre a questão das mulheres no poder.

O livro é bastante envolvente e nos ajuda a entender melhor a história de Westeros, bem como os motivos por trás de algumas ações que nos livros anteriores pareciam fora de propósito. Ah, e finalmente entendemos melhor como funciona a religião de Westeros, com seus sete deuses que são um só, e também a função e formação dos meistres. Altamente recomendado!

A série continua com A Dance With Dragons, que será lanaçado no Brasil pela Leya no segundo semestre deste ano. Nesse volume, os personagens do norte e do leste voltarão a aparecer. Lembrando que a linha cronológica é a mesma de O Festim dos Corvos, ou seja, teremos o que aconteceu com Jon Snow, Daenerys, Tyrion e Stannis enquanto Cersei, Arianne Martell, os Greyjoy, Jamie Lannister e Brienne se envolviam nas tramas mais ao sul.

Segundo o autor, há mais dois livros para a série, que ainda não foram escritos: The Winds fo Winter e A Dream of Spring.

Curiosidades:

  • Martin planejava que o quarto livro fosse A Dance With Dragons, que contaria o que aconteceu no fim de A Tormenta de Espadas cinco anos depois. No entanto, depois de um ano escrevendo, decidiu que não estava bom, pois ele precisava utilizar muitos flashbacks para contar o que aconteceu nesse espaço de cinco anos. Foi então que ele decidiu recomeçar e contar tudo que aconteceu imediatamente depois do terceiro volume. O título seria O Festim dos Corvos. Mas o livro estava ficando gigantesco, então Martin e seus editores decidiram dividi-lo em duas partes: O Festim dos Corvos, com toda a história dos personagens do sul, e A Dance With Dragons, com os do norte.
  • Em agosto de 2002, Martin publicou os capítulos que narram o ponto de vista dos Homens de Ferro numa novela (ou seja, um romance pequeno) chamado Arms of the Kraken.
  • Em 2005, ele publicou um chapbook com capítulos de Daenerys Targaryen, mas esses fariam depois parte de A Dance With Dragons.
Anúncios

17 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Juliana Pires
    mar 29, 2012 @ 02:29:07

    Eu comecei esses dias a ler o primeiro livro, nossa como é grande acho que é o maior que já tive em mãos, mas sei que os livros só vão crescendo, quando vi o terceiro volume na livraria pensei WTF é grande demais. Estou gostando do livro espero que só tende a melhorar.
    Por que será que as pessoas não gostaram muito desse livro, eu ouvi algumas pessoas reclamando, me recuso a acreditar que é pelo desenvolvimento das personagens femininas, vamos acreditar que é pela falta de batalhas, que como voce, eu também não vejo muita graça eu extensas cenas de lutas sangrentas.

    Beijos

    Responder

    • Melissa
      mar 29, 2012 @ 13:48:04

      Ju, essa série é gigantesca. É até difícil segurar os livros. rs Mas acho que vale a pena no geral. O primeiro livro é um dos meus favoritos justamente porque não tem muitas cenas de guerra. Não tenho muita paciência com elas… A história prende a atenção, mas confesso que achei “A Fúria dos Reis” bem difícil de ler (muitas cenas de guerra, muita ação, muita crueldade…). Já “Tormentada de Espadas” é mais legal, tem mais drama e apesar de ainda termos umas cenas de guerra e luta, não é tanto assim. Mas “Festim” ganhou meu coração com a total ausência de guerra.

      Se as pessoas não gostaram desse quarto livro por conta do foco nas mulheres, eu realmente começo a perder a fé na humanidade… Também prefiro pensar que é por conta da falta de cenas de luta.

      bjs

      Responder

  2. Cassy
    mar 29, 2012 @ 18:08:49

    Dizer o que, Melissa? Você já disse tudo. Embora o livro não seja o meu preferido na série, é com certeza o que aborda de forma mais clara os aspectos sociais em Westeros, as conseqüências da guerra para a população, que é sempre a parte mais fraca em qualquer guerra e o quanto a religião teima em mandar e desmandar. É um livro espetacular com certeza, pois mostra como George R. R. Martin é versátil em sua escrita. Até a narrativa parace ser propositalmente mais lenta e densa. Realmente o enredo é envolvente, mas que Jon, Dany e Tyrion fazem faz, ah, fazem rsrs

    Responder

    • Melissa
      mar 30, 2012 @ 20:40:23

      Cassy, eu também acho que a narrativa foi propositalmente mais lenta. Muita gente disse o absurdo de que o Martin “perdeu a mão”! Loucos! É uma estratégia de escrita como outra qualquer.

      Eu to doida pra ler “Dance With Dragons”, mas vou esperar a Leya lançar (é que gosto de ter os livros todos da mesma coleção rs).

      Responder

      • Cassy
        mar 31, 2012 @ 01:12:41

        Fica realmente melhor na estante ter os livros da série iguais. No meu caso a série ficou bem bagunçada, pois os quatro primeiros livros são os paperbacks americanos com as capas antigas e o quinto é aquele enorme em hardcover rsrsrsrs. Ficam bem estranhos juntos.

        Vc vai amar A Dance with Dragons. E a capa ficou lindíssima. Abraços 😀

  3. Liége
    mar 30, 2012 @ 00:21:45

    Nossa, que interessante a perspectiva desse livro. Eu também não sou fã de muitas cenas de ação e luta, acho que em excesso fica mesmo tedioso, embora eu goste de ler batalhas bem escritas (até porque sou completamente incapaz de imaginar uma batalha). O Martin é muito versátil mesmo!

    P.S. Melissa, o blogger anda trolando seus comentários e eles só aparecem no meu e-mail, daí não consigo responder no próprio blog. Concordo com o que você falou sobre propaganda enganosa. É mesmo melhor você publicar por conta.

    Responder

    • Melissa
      mar 30, 2012 @ 20:39:01

      Liége, o Martin escreve muito bem vários tipos de cena. Desde batalha e violência a dramas piscológicos e cenas de sexo. Não podemos negar o talento dele, mas acho que ele exagera tem hora com os detalhes. O segundo livro, por exemplo, ficou exageradamente longo por causa dessas coisas. Chega a entediar. Mas enfim, a série tem uma história muito boa (mas bem violenta).

      Que coisa esses bugs de blog, hein? Sobre o assunto: eu acho um absurdo isso de prometer mundos e fundos e não fazer nada. E acho pior ainda autor que cai nessa! Publicar por conta própria é difícil, mas é melhor do que gastar uma grana com gente que não vai te ajudar.

      Responder

  4. Rodrigo
    mar 30, 2012 @ 02:10:28

    Nossa, comecei a ler o primeiro já faz uns 3 meses, só que sempre que olho para ele fico com preguiça e até um pouco enjoado, de tão grande que é! rsrs.
    Mas pelo que li aqui, a série parece nao decepcionar, então vou ler o mais rápido possivel, pois estou com a coleção inteira praticamente mofando.

    Responder

    • Melissa
      mar 30, 2012 @ 20:36:32

      Rodrigo, se você gosta de uma história com muitos, mas muitos detalhes, vai gostar dessa série. Tem que ter paciência porque o Martin narra cada armadura e de cada cavaleiro em cada castelo. Pra quem não gosta desse nível de detalhe, o livro fica um porre, não vou mentir.

      As sequências seguem no mesmo estilo e a trama via ficando muito boa. Talvez valha a pena dar uma guinada no primeiro volume e ler pelo menos o final dele pra ver se vale a pena ler os outros.

      Mas eu adoro! 🙂

      Responder

  5. Camila - Leitora Compulsiva
    abr 02, 2012 @ 19:45:34

    Caramba,
    Fico vendo a sua empolgação nas resenhas dessa série, mas não dá para mim!
    Os livros são enormes e a série é muito grande também!
    Preciso dar conta do que tenho parado aqui antes de pensar em embarcar nessa leitura! hehehe
    beijos
    Camis

    Responder

    • Melissa
      abr 03, 2012 @ 01:37:34

      Camis,
      Essa série é empolgante, mas é uma empreitada grande. Os livros são muito grandes e demandam muito tempo de leitura. Vale a pena reservar pra quando as leituras estiverem mais em dia.
      bjs

      Responder

  6. Camila 2
    abr 04, 2012 @ 15:44:55

    Gostei desse blog!
    Acabei de ler a guerra dos tronos e vou começar a ler a fúria dos reis.
    Estou curiosa pra saber o que acontece com os filhos do Eddard.Se a Arya vai se tornar uma guerreira disfarçada,se o Bran vai voltar a andar e se a o Robb vai vencer a guerra contra os Lannister…

    Responder

    • Melissa
      abr 04, 2012 @ 21:46:09

      Camila, que bom que gostou! Espero te ver por aqui mais vezes… 🙂

      “A Fúria dos Reis” não é meu livro favorito, mas com certeza satisfaz algumas das curiosidades que você colocou aí…

      Responder

  7. Bia
    abr 08, 2012 @ 23:48:11

    “Cenas de ação em excesso me entediam. Descrições intermináveis de guerra não fazem a minha cabeça. O que eu mais gosto nessa série é justamente a intriga, o interesse pessoal e como tudo isso se junta..”

    É isso que mais me atrai nessa série. Eu tive muito preconceito pra iniciar a leitura das Crônicas de fogo e gelo achando que seria de guerra com aquelas descrições intermináveis, mas me pegou de jeito, toda essa intriga, sem um personagem principal, mas muitos personagens, alguns peças, outros jogadores do jogo dos tronos.

    Eu to lendo o Festim dos Corvos bem lentamente, no início ainda por causa da faculdade, mas estou gostando. Eu sinceramente nem ligo de faltar a visão de alguns personagens, porque se por um lado não tem a Dany, tem a Arya, a Sansa, Asha e assim vai.. no próximo terão outros personagens que também gosto como o Jon, a própria Dany, Tyrion (?)
    Essa é certamente uma das poucas séries que é dificil escolher um personagem preferido porque muitos são tão envolventes.
    bjs

    Responder

    • Melissa
      abr 09, 2012 @ 00:45:47

      Bia,

      Essa visão diferenciada dos personagens e seus motivos é mesmo o mais legal da série. E como você disse, tem horas que fica difícil escolher um favorito. Até porque personagens que no começo eram mal vistos (como o Jamie ou o Tyrion) ou mesmo aqueles que eram bem vistos (tipo a Cersei) mostram suas verdadeiras faces e a gente acaba se surpreendendo o tempo todo!

      Mal posso esperar pra ler sobre a Dany e o Jon de novo. E sim, eu imagino que vai ter Tyrion, Bran e Rickon nessa leva!

      bjs

      Responder

  8. Trackback: Enquete: Qual é um preço justo para um livro digital? « Livros de Fantasia
  9. Camila 2
    abr 29, 2012 @ 20:01:32

    Acabei de ler A Fúria dos Reis.Levei quase um mês pra acabar só para poder comprar os próximos e continuar lendo.(afinal comprei o livro 2 no começo de março,se acabasse logo em 15 dias seria muita ansiedade pelo próximo)Gostei mais ainda do Tyrion,e da Arya, Mal posso esperar para que o Joffrey morra logo,de preferência nas mãos do Robb!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: